Ex-Mulheres VII – “O Dentista”

janeiro 24, 2008

Mariana tinha os dentes perfeitos. Perfeitos mesmo. Mas tão perfeitos que seu dentista se apaixonou e os dois se casaram. O nome dele era Almir. Assim que ele a recebeu para a primeira consulta, forçosamente inventou obturações a fazer, só para chamá-la a uma segunda consulta. Porém, quando Mariana entrou no consultório para o retorno, Almir a chamou para sair. Ela aceitou.

Cinco anos se passaram e, embora Mariana tenha se apaixonado perdidamente por Almir, vive chorando nos ombros de todas as amigas, pelo menos nos últimos três anos. Almir era violento, batia mesmo. Não gostou da comida, gritava, se ouvia resposta, já sentava a mão.

Mariana era mulher submissa, dessa das antigas. Faz tudo pelo homem como dona-de-casa, apanha vez ou outra, mas continua lá. Entretanto, suas amigas a pressionavam, pois as coisas estavam ficando feias.

Foi assim por três anos. Mariana encontrava uma amiga e estava com o olho roxo. A amiga logo mandava: “denúncia esse vagabundo”. Mariana rebatia: “não, ele é violento, mas tem suas qualidades”. Sua prima a visitava e ela estava com a boca inchada. A prima chamava a atenção: “pede o divórcio, esse cara não vale nada”. E Mariana: “vale sim, põe comida na mesa, e tem suas qualidades”.

Em pouco tempo, os dentes de Mariana continuavam perfeitos, mas o restante todo era estropiado. Roxo aqui, inchado ali, corte acolá… Almir estava caprichando nos últimos tempos. Qualquer olhar torto estava virando motivo de bordoada.

Contudo, Mariana não fazia menção de se separar. As amigas, a prima e parentes estavam já indignados, queriam denunciar Almir, mas Mariana não deixava. “Ele tem suas qualidades”… era sempre esse o bordão.

E assim se passaram mais dez anos. Um belo dia, Mariana acordou com uma dor dos infernos num dos dentes molares. Botou gelo e correu pro consultório do marido. Almir passou a esposa na frente dos outros pacientes, examinou daqui, examinou de lá e logo deu o diagnóstico: “é ciso, vai ter que ir num odontologista”.

Peraí, pensou Mariana, que porra faz um odontologista diferente de um dentista. Explodiu. “Estou casada com um filho da puta de um dentista há quinze anos e nunca tive um problema nos dentes. Agora tenho e você me manda pra outro cara”. Almir tentou argumentar e ouviu um sonoro “vá tomar no cu”.

Quando chegou em casa, de noite, Mariana já não estava lá. Foi embora para a casa da mãe. Meses depois, divorciaram-se no papel. A dor-de-dente? Não era nada, só uma fibra de carne que entrou no lugar errado – um fio-dental resolveu. Afinal, Mariana tinha dentes perfeitos.

Anúncios

2 Responses to “Ex-Mulheres VII – “O Dentista””

  1. SrDoutor Says:

    Muito bom, mas não generalize, existe muito dentista que não bate e até cozinha para a mulher (eu, por exemplo) 🙂

  2. Nanda UP Says:

    😀 Muito bom!!!!

    (Só tomara que o rapaz aí de cima não desconte tudo nas crianças…)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s